I Encontro de Análise Térmica
05 a 09 de julho de 1987

I Encontro de Análise Térmica (I ETA) foi realizado no Instituto de Macromoléculas da Universidade Federal do Rio de Janeiro, no período de 05 a 09 de julho de 1987, sob a presidência da Professora Eloisa Biasotto Mano.

I ETA contou com a participação de 109 pessoas de nove Estados do Brasil, provenientes da indústria e de universidades, sob o patrocínio do ICTA/Comitê de Educação do Brasil, do Instituto de Macromoléculas da UFRJ, do CNPq e ainda a colaboração das firmas Perkin-Elmer S.A., Micronal S.A., D.P. Instrumentos Científicos Ltda, B.P. Engenharia S.A. e Netzch do Brasil S.A., todas relacionadas à Análise Térmica.

A Comissão organizadora foi constituída pela Professora Eloisa Biasotto Mano, diretora do IMA/UFRJ, Professora Clara Marize Firemande Oliveira do IMA/UFRJ, Márcia Regina Benzi também do IMA/UFRJ e Maria Luiza Gonçalves Ficara do CENPES/PETROBRAS.

A Professora Eloisa Biasotto Mano explicou aos presentes as origens desse Encontro e da sua posição como Presidente do Comitê de Educação do Brasil da International Confederation of Thermoanalysis - ICTA, através do convite que lhe foi formulado pela Professora Edith Turi da Polytechnic University of New York, e membro do Comitê de Educação da ICTA, que havia proposto e obtido aprovação de seu nome para esta posição, até 01 de setembro de 1988.

A Professora Eloisa Biasotto Mano propôs o nome do Professor Ivo Giolito da Universidade de São Paulo, para substituí-la na presidência do Comitê de Educação do Brasil/ICTA, no período subsequente. A Assembléia aprovou por unamidade a indicação do nome deste a ser submetido à aprovação do ICTA.

Quanto à questão da data do próximo Encontro, foi sugerido pelo Professor Ivo Giolito encontros bianuais devido à suposição de que o número de trabalhos de análise térmica no Brasil não comportaria Encontros Anuais. A Assembléia não concordou, pois o I ETA não teve a apresentação de trabalhos e a avaliação da produção de Análise Térmica no pais só poderia ser feita após de um Encontro no qual se possibilitasse a apresentação de trabalhos, por isso a Assembléia propôs que o II ETA se realizasse no final do ano de 1988. O assunto seria resolvido posteriormente.

O Sr. Nelson Perez, da Fras-Le S.A., levantou a questão sobre as vantagens e desvantagens para a análise térmica no Brasil de existir a vinculação à ICTA.

A Professora Eloisa Biasotto Mano falou sobre a importância da análise térmica ser reconhecida internacionalmente através do ICTA, uma vez que este é um organismo internacional pertencente à IUPAC.

O Professor Ivo Giolito sugeriu a criação de uma Associação Brasileira de Análise Térmica, que poderia se subdividir em comitês. A Presidente concedeu a palavra à Professora Edith Turi, do ICTA, a fim de que esta melhor explicasse aos presentes os objetivos e a atuação do ICTA.

O Sr. Nunzio Di Gregório, da ATLAS-Grupo Ultra, propôs a formação de grupos regionais independentes denominados "GRUTAS"- Grupo de usuários de Termoanálise, que discutiria problemas técnicos bem como fariam a avaliação da realização do II Encontro de Análise Térmica. A interligação dos GRUTAs seria feita através de reuniões dos representantes de cada GRUTA escolhidos dentre os participantes da Assembléia, cujos nomes se encontram abaixo relacionados:


GRUTA-SUL Susana A. Liberman PPH
GRUTA-SP Nunzio Di Gregório ATLAS
GRUTA-RJ Márcia Regina Benzi IMA/UFRJ
GRUTA-MG José Daniel B. Melo U.F. Uberlândia
GRUTA-BA João Kenkiti Tan CEPED
GRUTA-CE Francisco Audísio Dias QUÍMICA/UFCE


Aprovada a proposta, decidiu-se marcar a I reunião da avaliação para o dia 11 de dezembro de 1987 no IQ/USP, com a presença do Professo Ivo Giolito.